Desacreditar na vida

Reprodução

No mundo em que vivemos observo o constante senso de otimismo. As pessoas dizem e acreditam, suponho, que devemos sempre esperar o melhor de tudo. O direito de desacreditar parece até estar extinto da sociedade.

Sinto pena dos coitados pessimistas, como eu, que estão fadados a serem afastados do pacífico convívio social. Afinal, ninguém quer por perto pessoas que não se permitem sonhar.

Não nasci assim, acredite. O mundo e a minha própria concepção dele me tornaram isto, este suposto monstro que sou hoje. Não consigo, ou talvez eu apenas não queira, acreditar em dias melhores. Não espero que o arco íris surja de um céu cinzento e me mostre o caminho para encontrar o pote de ouro.

Sonhos torturam minha alma castigada por incontáveis desilusões. Não que eu não saiba como sonhar, apenas não me permito fazê-lo, pois cada vez que crio sonhos, vem a realidade me bombardeando com todo tipo de adversidade, e afastando qualquer indício, mesmo que mínimo, de otimismo que brota em meu coração.

Agora apenas exijo um pouco de respeito: Me deixem em paz com o meu direito de simplesmente desacreditar no lúdico da vida. Eu não impeço ninguém de sonhar. Então, por favor, me deixem viver com o meu pessimismo!!!!!

Anúncios

Eu acredito!

Reprodução

Sabe aquele pensamento constante que nos diz que algo não vai dar certo, ou que certas situações vão acontecer? As pessoas costumam deixar de lado esse tipo de ideia, porque acreditam que tudo que parte do mundo invisível e abstrato, não merece consideração. Só que no fundo sabem que deveriam dar razão para este tipo de emoção.

Chamem de realidade ou de ignorância, mas eu acredito na intuição independente das alheias opiniões.

Para mim faz todo o sentido pensar que existem mais coisas do que os falhos sentidos humanos podem captar. E pergunto: Qual o problema em se acreditar no que ninguém consegue ver?

(Mariah Carey – #Beautiful ft. Miguel)

Eu não vou desistir

Fonte: Reprodução

Sabe aquele seu antigo sonho que, mesmo que às vezes esquecido, você guarda com carinho dentro do coração? É aquele mesmo, o não realizado que você pode jurar que jamais vai se concretizar, mas que no fundo, lá na sua essência, você mantem a esperança de que um dia se torne real? Este sonho é a razão do título “Eu não vou desistir”.

Guardo o meu sonho, aquele não realizado, dentro de mim com carinho e respeito. Consigo entender que existe a forte possibilidade de ele jamais vir para a minha realidade nesta vida, e entendo que talvez ele sequer seja cabível de ser realizado no mundo no qual vivemos, mas isso não me impede de acreditar nele, e continuar seguindo meu caminho dia após dia não desistindo de acreditar.

Acreditar no meu sonho faz com que eu tenha motivação para acordar todos os dias de manhã dizendo “bom dia” ao dia. Ter fé nele me motiva a viver, e a buscar em cada mísera experiência uma possibilidade de proeminente realização. Então, não preciso dizer, mas repito “Eu não vou desistir” do meu sonho, porque ele faz do os meus olhos brilharem, porque ele é o que eu busco e, sobretudo, porque ele, mesmo ainda não sendo real, faz de mim uma pessoa melhor simplesmente por ter algo em que acreditar.

(Jazon Mraz – I won’t give up)

O poder da fé

Fonte: Reprodução

Sabemos que os sentimentos são abstratos, e por esta razão não podemos vê-los e nem tocá-los. Porém, é inegável a existência de uma lacuna que faz surgir a possibilidade de percebermos a existência de tudo o que é invisível. Eu, pessoalmente, costumo chamar esta misteriosa lacuna de “acreditar”, outros optam por denominá-la de milagre… Independente da palavra escolhida o fato existe, e não há o que se contestar.

Muitas das coisas não precisamos ver ou apalpar para comprovarmos a existência. Basta observarmos as respectivas consequências. Por exemplo, acreditamos em Deus porque o simples ato de crer na sua onipresença parece nos dar paz e iluminar os nossos caminhos. Não podemos ver a sua imagem e muito menos tocar na sua face, mas a consequência de acreditar no poder divino é palpável e influencia a nossa vida.

Quer outro exemplo? Uma vez li não sei onde que ouvir rock tinha o efeito calmante sobre os seres humanos. Para comprovar, nos meus momentos de maior revolta resolvi tentar, assinei embaixo e disse “Não é que dá certo!?”. Sequer posso falar se esta afirmação é científica ou não, mas eu optei por acreditar nela e desde então permiti que efeito rock n’ roll funcionasse comigo.

Rápida conclusão? Este é o poder da mente agindo sobre o meu corpo e, não sei se você acredita, mas eu ACREDITO, que não há nada mais forte do que a fé atuando dentro de cada um de nós.

(Meredith Andrews- Who is like you)

Sonho real

Todo mundo que casa diz a mesma coisa: “O ´grande dia` passa muito rápido”. Agora eu já posso confirmar, não é que é verdade mesmo?

Tantos preparativos, detalhes, organizações e páginas e mais páginas de compromissos na agenda de repente se transformam no dia tão esperado, e o tempo assume proporções desconhecidas, parece criar asas sabe-se lá da onde e voar muito, muito rápido.  Apesar do alívio de não ter que me preocupar em visitar o dj, conversar com a decoradora, ouvir versões das músicas da celebração, confesso que já sinto saudade de tudo isso.

O dia 08 de setembro, o dia mais esperado do ano, ao menos para nós, agora os ex-noivos, passou como num passe de mágica. Quando me dei conta já estava diante do altar, com o pastor pronunciando as lindas palavras que marcaram a realização do meu maior desejo. E, agora, já posso dizer que os sonhos se tornam realidade. Sim… só é preciso acreditar.

(Enrolados – Vejo enfim a luz brilhar)

A possibilidade dos sonhos

Se eu dissesse, baseada exclusivamente em uma especulação própria, que os sonhos são capazes de revelar verdades que ainda não somos capazes de compreender, você acreditaria?

Explicando minunciosamente a linha de raciocínio, eu poderia dizer que nos sonhos somos remetidos a dimensões, a verdades, pessoas e fatos que a nossa vã consciência humana por enquanto não está preparada para entender.

Para mim os sonhos sempre foram muito mais do que simples lampejos de uma mente que descansa. Para mim, os sonhos revelam tudo o que de mais paralelo e invisível acontece nas nossas vidas. É como se sonhando nós nos libertássemos dos pensamentos físicos e materiais e conseguíssemos alcançar patamares do invisível e do até então incompreensível.

Acredito que os sonhos podem nos revelar verdades que não seriamos capazes de acreditar se nos fossem confiadas ao estarmos acordados. É como se nos sonhos todas as barreiras do impossível fossem quebradas, e todas as mistificações e preconceitos fossem deixados de lado para dar espaço a possibilidade.

Nos sonhos temos esta possibilidade de ver tudo diferente e até mesmo de acreditar no improvável. Por isso, digo que, para mim ao menos, os sonhos libertam dos elos que nos prendem a não acreditar no impossível, porque nos sonhos, afinal, tudo é suscetível a possibilidade de acontecer!

(The Pretty Reckless – You)