A musa da inspiração

Fonte: Reprodução

A pergunta mais frequente que os escritores e artistas em geral ouvem é sobre a origem da inspiração.  Logicamente, por se tratar de seres sensíveis e criativos, as respostas fornecidas são incríveis e variadas. São repletas de vírgulas e pontos que melodicamente expressam a opinião. Cita-se o amor, a dor, a casualidade, a rotina, a esperança, a religião… São várias palavras, conceitos, nomes e sobrenomes, mas a justificativa sempre atinge o mesmo produto final: A inspiração vem da vida.

Todas as suas facetas, caras e bocas, experiências desde as mais banais até mais significativas são palco e margem para o que chamamos de inspiração. Ela vem ao acaso, sem compromisso com horários. Surge dos momentos simples, de um olhar diferente, de um pensamento jamais ocorrido, e até mesmo de uma ideia preconcebida que foi repensada.

A inspiração não tem hora, não tem data e nem local. Ela apenas se faz presente como um vislumbre de uma realidade habitual que se tornou mais profunda, mais compreendida. A inspiração vem da vida. A vida é a musa da inspiração.

(Christina Aguilera – Loving me 4 me)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s