Paz de espírito

Reprodução

Conservo certas atitudes que me propiciam paz de espírito e a harmonia que minha alma tanto anseia. Ler, escrever, e correr muitos quilômetros consecutivos são apenas alguns exemplos. Porém, infelizmente, existem fases da minha vida em que me esqueço dos meus “hábitos de paz”. Por que isso acontece?

Sinto que de vez em quando sou assombrada por tantos fantasmas que não encontro espaço – ou motivação – para seguir pelos caminhos que eu amo de verdade. E este é o meu constante erro. Quando não faço o que gosto, acabo preenchendo os vazios do meu dia a dia com afazeres que sequer quero que estejam presentes, mas que, inevitavelmente, acabam sendo executados de maneira quase que obrigatória.

Tudo bem, ninguém aponta uma arma para a minha cabeça e diz “Faça isso agora!”. Mas, convenhamos que nem todas as nossas ações são guiadas exclusivamente pelas vontades. A maior parte das situações, por sinal, caem no nosso colo e somos obrigados a lidar com elas da melhor maneira possível.

Só que hoje… Somente hoje adquiri a plena consciência de que não posso deixar de fazer as coisas que gosto só porque outras situações surgiram e me desviaram da minha paz de espírito. Não, e não pretendo nunca mais abrir mão de quem eu sou e do que preciso para ser feliz. Acostumem-se com isso!