Mãezinha, parabéns!

IMG_0770
Hoje fazem tantos 9 meses, 277 dias, e 10 horas que minha mãe se foi para longe do alcance do meu abraço. Não que eu esteja contando o tempo dia após dia mas, por um momento, pensei que tal contabilidade poderia expressar o tamanho da minha saudade… A verdade é que não pode, de forma alguma poderia. Minha saudade é muito maior do que meses, dias ou até mesmo décadas. Minha saudade é compatível com o tamanho do amor que minha mãe dedicou a minha vida, a dos meus irmãos e de todas as pessoas que cruzaram o seu caminho.

 

Juro que já não choro mais como antes. Hoje é uma exceção. Como dizer “não” as lágrimas quando elas são as únicas companheiras capazes de extravasar o verdadeiro sentimento que carrego no peito? Não, não há maneiras capazes de impedir o sofrimento da perda. Porém, hoje me permito chorar e também me permito rir ao lembrar dos incontáveis momentos que Deus me permitiu conviver ao lado de minha mãezinha.

 

Este é o primeiro Dia das Mães que passo sem ela.
No ano passado, quando ela ainda estava aqui, lembro que pude acordar cedo, comprar uma flor, sentar ao lado dela na cama, abraçá-la e dizer “Eu te amo, mãe!”. Neste ano será diferente, mais vazio e eternamente mais triste. Mas tudo bem! Entendo que o “Cara Lá de Cima” também precisa de boas companhias.

 

Ontem fui em uma floricultura e me veio à memória todas essas recordações. Não pude deixar de pensar na minha mãe ao ver cada arranjo de flores. Olhei todos, pensei, escolhi, mudei de ideia e acabei trazendo para casa um arranjo pequeno e delicado com uma única rosa com pétalas coloridas. Sinceramente não sei como conseguiram mexer com a genética da rosa para deixá-la cheia de cores, mas para mim ela representa muito bem à alma multicolorida de minha mãe, com cada cor representando suas características: benevolência, otimismo, força, fé, alegria, tranquilidade, espontaneidade, dedicação, paciência, abnegação, e acima de tudo, AMOR.

 

Mãe, eu sei que não sou capaz de te enxergar agora, mas tenho absolutamente convicção de não podes estar longe, porque hoje é Dia das Mães, é o dia daquela mulher batalhadora que se virou – sabe Deus como – para cuidar de seis filhos. Hoje é o SEU dia minha mãe, e eu daria tudo o que tenho na minha vida só para te abraçar novamente e dizer “Eu te amo mãe, sabes disso né?”.