Mãos amigas

Reprodução

Nos momentos de dificuldade você percebe quem se importa. É nestas horas que você encontra os verdadeiros ombros amigos. E, não se preocupe! Em ocasiões desta espécie é natural se surpreender com a bondade proveniente de lugares inesperados. E também é comum receber o descaso de que você jamais poderia imaginar.

Como diz a voz da experiência, é muito fácil ter amigos quando a vida prospera. Agora a verdadeira sorte está em manter as amizades mesmo nos momentos de crise. Não que seja difícil conservar os bons amigos. A parte complicada se encontra em saber quem são os amigos.

Às vezes você pensa que pode confiar cegamente em alguém. Espera que quando os “sobes e desces da vida” te levarem para baixo você encontrará apoio e palavras de otimismo. Imagina que tudo ficará bem, porque tem com quem contar. A questão é que assim como a nossa rotina pode sofrer abalos sísmicos, as ditas “amizades” podem não suportar certas provações. Então somem. Desaparecem. Seguem novos rumos, possivelmente mais fáceis e que estejam bem longe da “falta de sorte”.

Oportunismo? Falsidade? Pouco importa a razão, porque o que se torna relevante no final são aquelas mãos que se estendem para te erguer. São aquelas mãos que você até já esquecia que existiam. Não tinha mais o telefone gravado nos contatos. Não lembrava sequer do sobrenome. Mas, quando você realmente precisou, elas estavam estendidas e dispostas a te levar novamente ao topo.