“Mesquinharias” coletivas

Reprodução

Já escreveu Paulo Coelho: “Costumamos não dar valor às coisas que fazemos todos os dias, mas são elas que estão transformando o mundo à nossa volta.”. E não é que o “mestre” tem razão?

Ao pensar plausivelmente sobre os detalhes cotidianos, vejo o quanto as mesquinharias do dia a dia passam batidas. Vive-se a rotina conhecida de maneira mecânica e impensada, e não há espaço (e muito menos tempo) para se pensar o quanto as nossas atitudes, e aqui me refiro a qualquer uma delas, repercutem não apenas no nosso destino, mas também na vida das pessoas que nos cercam e, por que não dizer, do MUNDO?

Pessoalmente, fico aqui tentando encontrar qual entre as minhas ações está transformando a vida a minha volta. Talvez usar a internet? Não desgrudar o celular? Sofrer horrores com a abstinência das redes sociais? Ou, quem sabe, todo este conjunto de coisas?

Agora, a pergunta mais importante: Será que as coisas que faço todos os dias estão ajudando a fazer  do mundo um lugar melhor? Pior? Ou será que são insignificantes na parcela estrutural da transformação coletiva?

(Skylar Grey – White suburban)